Sequestrador de Paris exige que polícia acabe com cerco a irmãos Kouachi

Autor do tiroteio e sequestro em supermercado kosher pode ser a mesma pessoa que ontem disparou sobre dois agentes da autoridade em Montrouge, matando uma polícia.

O homem que sequestrou cinco pessoas dentro de um supermercado kosher, no 12.º bairro de Paris, terá exigido que a polícia acabe com o cerco aos irmãos Kouachi, os suspeitos do ataque ao jornal Charlie Hebdo, que estão barricados numa empresa em Dammartin-en-Goële, a 50 km da capital francesa. Se isso não acontecer, o homem ameaça matar os reféns que fez no supermercado de produtos judaicos, avança a televisão RTL, uma informação entretanto confirmada também pelo Le Figaro.

"Os dois incidentes estão claramente ligados", afirmou fonte policial ao jornal. "O sequestrador ameaçou matar todos os reféns se as forças especiais atacarem em Dammartin onde estão os irmão Kouachi", acrescentou. A polícia francesa enfrenta assim duas situações de reféns, no mesmo dia.

O autor do tiroteio junto da Porte de Vincennes e do sequestro no supermercado pode ser a mesma pessoa que ontem disparou sobre dois agentes da autoridade em Montrouge, matando uma mulher-polícia. As autoridades identificaram-no como sendo Amedy Coulibaly. Fonte da polícia, contactada pelo jornal Le Figaro, confirmou o número de reféns e também a identidade do sequestrador.

A AFP chegou a avançar que havia dois mortos a registar em resultado do tiroteio, mas o Ministério do Interior francês já desmentiu a informação, confirmando para já apenas um ferido grave.

Ao Figaro, a fonte policial sublinhou que o homem é "extremamente perigoso" e está armado com duas espingardas de assalto. Dirigido-se aos agentes da autoridade, disse mesmo: "Vocês sabem bem quem eu sou".

O ministro do Interior francês, Bernard Cazeneuve, foi para o local, no 12.º bairro de Paris, a pedido do presidente François Hollande. Devido ao sequestro, os transportes públicos não estão a circular nas proximidades de Porte de Vincennes, como medida de segurança, e as ruas adjacentes foram evacuadas.

Esta manhã, a imprensa francesa adiantava que tinha sido identificado o atirador de Montrouge, que tem ligações aos irmãos Kouachi, autores do massacre no Charlie Hebdo.

Já ao início da tarde, as autoridades emitiram um comunicado onde divulgam as imagens de Amedy Coulibaly, homem de 32 anos, e Hayat Boumeddiene, mulher de 26, pedindo às pessoas que tenham informações sobre eles que contactem a polícia. O apelo das autoridades está relacionado com o tiroteio de Montrouge, ainda que Amedy Coulibaly, segundo as últimas informações, seja o autor do sequestro que decorre esta sexta-feira no supermercado kosher. O nome de Hayat, até agora, não era conhecido.

Enquanto decorre o sequestro em Paris, na Porta de Vincennes, os dois suspeitos do atentado à redação do Charlie Hebdo continuam cercados pela polícia em Dammartin-en-Goële, a poucos minutos do aeroporto de Roissy-Charles de Gaulle. Estão barricados numa pequena gráfica e terão feito um refém.

Exclusivos