Separatistas pró-russos querem uma única linha da frente

Na Ucrânia, os separatistas anunciam intenção de criar uma frente unificada para afastar a artilharia governamental das suas principais praças-fortes.

Os separatistas pró-russos do leste da Ucrânia anunciaram hoje a intenção de criar uma única linha da frente, unindo as duas existentes - Donetsk e Lugansk -, para combater as forças governamentais.

"Os combates continuam. Agora, estamos a tentar fazer a ligação com a 'república popular de Lugansk' para criar uma frente unificada", disse o líder da autoproclamada 'república popular de Donetsk', Aleksandr Zakharshenko, citado por 'media' russos.

Os separatistas justificam esse plano, que viola os acordos de paz de Minsk, com a necessidade de afastar a artilharia governamental das suas principais praças-fortes.

Zakharshenko acusou Kiev de pretender destruir as infraestruturas das regiões controladas pelos separatistas, atacando centrais elétricas, gasodutos e depósitos de água, e de bloquear economicamente as zonas rebeldes, impedindo a entrada de alimentos e de medicamentos.

O líder separatistas estimou em cerca de um milhar o número de soldados ucranianos mortos em combate em Donetsk entre 13 e 19 de janeiro, na sua maioria na batalha pelo controlo do aeroporto de Donetsk, números que Kiev nega taxativamente.

No sábado, 30 civis morreram na cidade de Mariupol, num ataque de artilharia pesada contra um bairro residencial da cidade, sede do governo regional de Donetsk leal a Kiev.

O governo ucraniano responsabilizou os rebeldes, que dias antes anunciaram o lançamento de uma nova ofensiva no leste.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG