Separatistas pró-russos capturam militares ucranianos e ocupam parte de Debaltseve

Separatistas estão a avançar e dizem que acordo de cessar-fogo de Minsk não se aplica na cidade. Chefe da diplomacia europeia diz que acordo tem de "significado real".

Violentos combates casa a casa e rua a rua prosseguiam ontem em Debaltseve, ouvindo-se como pano de fundo o soar de armas pesadas, com as forças ucranianas e os separatistas pró-russos a bombardearem as posições adversárias.

Mas o rumo da batalha estaria favorecer os separatistas, com os obuses de artilharia a caírem sobre a cidade de cinco em cinco segundos, ao mesmo tempo que eram disparados mísseis de curto alcance Grad sobre as posições das forças ucranianas, referiam jornalistas da Reuters presentes nos arredores da cidade.

Os combates de ontem - dois dias após a entrada em vigor de um cessar-fogo - terão sido dos mais brutais desde que os separatistas iniciaram a ofensiva sobre a cidade, estratégico nó rodoviário e ferroviário. E assinalaram um desenvolvimento importante, com os separatistas a conseguirem penetrar no perímetro urbano e a capturarem alguns militares ucranianos. Kiev admitiu que as forças separatistas tinham entrado em Debaltseve e capturado "uma parte da cidade", apoiados "por artilharia e veículos blindados", escreveu ao final do dia o ministro da Defesa Stepan Poltorak.

LEIA MAIS NA EDIÇÃO IMPRESSA OU NO E-PAPER DO DN:

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG