Sauditas bombardeiam rebeldes e protegem presidente do Iémen

Coligação de Estados árabes, encabeçada por Riade, não exclui intervenção terrestre para restabelecer governo legítimo do país.

O presidente Abd-Rabbo Mansour Hadi deixou ontem a cidade de Áden, onde se refugiara após a conquista da capital, Sanaa, pela rebelião houthi, tendo viajado para a Arábia Saudita sob proteção de militares deste país. Horas antes, aviões de combate de Riade tinham atacado forças da rebelião que continua a avançar em várias frentes, tendo esta anunciado uma recompensa equivalente a cem mil dólares pela captura do presidente.

As operações aéreas, que se prolongaram por todo o dia, poderão ser seguidas por "uma ofensiva terrestre para restaurar a ordem", indicou uma fonte militar saudita citada pela Reuters. A intervenção terrestre, a ocorrer contará, além de unidades sauditas, com efetivos de mais nove Estados, todos de orientação sunita, que formaram uma coligação para deter a rebelião houthi, que segue o xiismo. "Será feito o necessário para proteger o legítimo governo do Iémen", declarou o embaixador saudita em Washington, Adel al-Jubeir.

Leia mais no epaper ou na edição impressa do DN

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG