Rendas baixas levam árabes a instalar-se em colonatos

Construídos em território ocupado para aumentar a população judaica em áreas árabes, os colonatos geram o repúdio palestiniano

O empresário palestiniano Abu Steve decidiu mudar-se para Pisgat Ze'ev,um colonato judaico no Norte de Jerusalém Oriental. A decisão, que já foi tomada por outros palestinianos e árabes israelitas, prende-se com o facto de serem mais baratas as rendas nos colonatos e os serviços camarários serem muito melhores do que no resto de Jerusalém Oriental. Mas há também quem faça o percurso inverso.

Pisgat Ze"ev foi construído no início dos anos 1980 em território ocupado na Guerra dos Seis Dias (junho de 1967). A sua construção está ligada à criação de um círculo defensivo judaico em redor de Jerusalém, como aconteceu com outros colonatos. Hoje, Pisgat Ze"ev tem cerca de 50 mil habitantes, 1300 dos quais são árabes israelitas e palestinianos. Estes, porque já viviam em Jerusalém Oriental, têm maior mobilidade e puderam ter acesso ao colonato.

Leia a versão integral na edição impressa ou no e-paper do DN