Rei de Paus do baralho dos EUA foi morto em combate

Braço direito de Saddam, Izzat al-Douri, de 72 anos, liderava um grupo rebelde sunita que combatia ao lado do Estado Islâmico.

De vendedor de gelo a braço de direito de Saddam Hussein, a ascensão de Izzat Ibrahim al-Douri dentro do partido Baath foi meteórica. E depois da queda do ditador iraquiano na sequência da invasão americana em 2003 tornou-se a figura mais importante do regime a conseguir escapar. Agora, o Rei de Paus no baralho de cartas com os principais homens de Saddam elaborado pelos EUA depois da guerra terá sido morto em combate na província de Salahuddin, a norte de Bagdad. Uma notícia avançada pela Al-Arabiya mas que os seus apoiantes negaram.

Aos 72 anos, Al-Douri era o atual líder do Exército dos Homens da Naqshbandi, um grupo rebelde que constitui um dos principais apoios do Estado Islâmico no Iraque. O número dois de Saddam, com fama de ser um homem impiedoso e cruel e considerado como um dos responsáveis pelo ataque químico que causou a morte a mais de cinco mil curdos em 1988 em Halabja, já antes tinha sido dado como morto.

Mas desta vez, além de a Al-Arabiya ter mostrado a fotografia do corpo de um homem com claras semelhanças físicas com Al-Douri, o governador de Salahuddin, Raed al-Jabouri, garantiu à BBC que este foi morto numa operação militar por soldados e milicianos xiitas a leste de Tikrit. A cidade, onde nasceram tanto Saddam como o seu ex-braço direito, foi reconquistada pelo exército iraquiano há duas semanas, depois de ter caído nas mãos do Estado Islâmico.

Leia mais na edição impressa ou no epaper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG