Radiação japonesa esgota sal em Hong Kong

A população de Hong Kong acorreu às lojas para comprar sal, depois de terem surgido na Internet textos onde se lia que este é eficaz no combate às radiações.

A notícia é dada pelo The Standard, diário de Hong Kong, em que se lê que este fenómeno sucedeu nesta região especial como em muitas cidades da China continental.

"O pânico espalhou-se a Macau, Pequim, Xangai e Guangzhou [ex-Cantão] e muitas mais cidades, devido à desinformação que está a percorrer a região após a declaração de emergência nuclear no Japão."

Além da "natureza supostamente preventiva do sal no combate às radiações, os consumidores temem que as próximas remessas de sal se encontrem contaminadas".

O diário de Hong Kong relata que, por exemplo, em Macau "a polícia foi chamada de urgência quando mais de 200 pessoas faziam fila à porta de uma mercearia na Av. de Almeida Ribeiro."

O fenómeno deve-se "à mentalidade de carneiro dos consumirores, que repetem o comportamento de outros", explicou ao jornal o psicólogo Tommy Chan Hing-moon.

A situação atingiu tal dimensão que a secretária para a Saúde e Alimentação do governo da região, York Chow Yat-ngok, teve de se pronunciar publicamente sobre a questão. "Chow explicou que o iodo - que pode reduzir os níveis de absorção pelo corpo humano de certo tipo de radiações - só é eficaz tomado em comprimidos seis horas antes ou após a exposição às radiações."

The Standard cita aquela governante, que pede à população "para não se deixar levar rumores de especuladores que procuram lucros ilícitos."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG