Quando os EUA usaram o rap para atacar o regime cubano

USAID desencadeou em 2009 programa para encorajar a contestação juvenil contra Havana. O que agora desmente. Bill Clinton sugere fim do embargo a Cuba

"Estou cansado de seguir o plano deles/Socialismo ou Morte não é um slogan/São as únicas opções que tens". Este é um extrato de um tema do grupo de rap cubano Los Aldeanos, interpretado ao vivo em junho de 2009, no leste da ilha.

Criado em 2003, neste concerto, o grupo não poupou comentários ácidos ao regime dos irmãos Castro. A atuação foi filmada e no final, evidentemente, que as forças de segurança apareceram para deter os autores de "comentários contra-revolucionários", que passaram a noite atrás de grades.

Los Aldeanos surgiam como porta-vozes do descontentamento na sociedade cubana. O que não sabiam é que estavam a ser manipulados por um agente ao serviço da USAID (Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional, que organiza programas de ajuda externa civil) no âmbito de um programa de desestabilização que passava pela mobilização dos fãs dos rappers contra o regime.

Leia mais no epaper ou na edição impressa do DN

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG