Quando Dilma e Aécio viviam apenas a 1 km de distância em Belo Horizonte

A presidente brasileira (do PT) e o seu rival do PSDB viveram durante sete anos em bairros vizinhos, numa zona de famílias de classe média-alta da capital do estado de Minas Gerais.

Qual é a hipótese de dois candidatos à presidência terem passado a infância em casas que ficavam apenas a um quilómetro de distância num país com 8 515 767 quilómetros quadrados? É o que acontece no Brasil, onde tanto a presidente Dilma Rousseff , do PT, como o seu adversário do PSDB, Aécio Neves, cresceram na mesma zona de classe média-alta de Belo Horizonte, em Minas Gerais. E apesar da diferença de 12 anos que há entre os dois políticos - que viviam nos bairros vizinhos de São Pedro e Savassi -, a verdade é que frequentavam os mesmos locais.

"Eles devem ter-se cruzado dezenas de vezes", disse ao jornal O Estado de S. Paulo o compositor e produtor musical Pacífico Mascarenhas, de 79 anos, que cresceu naquela área. Dilma nasceu a 14 de dezembro de 1947 numa cidade que comemorava 50 anos de existência (tinha sido construída para substituir Ouro Preto como capital de Minas) e estava em plena expansão. Algo que o empreiteiro Pétar Russév, o imigrante búlgaro que casara com a professora mineira Dilma Jane, 26 anos mais nova, soube aproveitar para prosperar.

Cinco anos antes do nascimento de Dilminha (como era conhecida), Juscelino Kubitschek tinha passado pela prefeitura de Belo Horizonte. Além de abrir novas avenidas ou modernizar a rede de saneamento, o futuro presidente do Brasil construiu a zona de lazer da Pampulha - projetada por Oscar Niemeyer, numa antevisão do que viria a fazer mais tarde em grande escala em Brasília, inaugurada em 1960.

LEIA MAIS NA EDIÇÃO IMPRENSA OU NO E-PAPER DO DN:

Exclusivos