Putin vai deixar cimeira do G20 mais cedo após pressão sobre a Ucrânia

O presidente russo, Vladimir Putin, deverá abandonar mais cedo a reunião do G20, que decorre em Brisbane (Austrália) até domingo, segundo uma fonte da delegação russa, citada pela agência noticiosa AFP.

"O programa do segundo dia (para Putin) alterou-se, foi encurtado", afirmou, sob anonimato, a fonte russa, que considerou que o almoço desta reunião "é mais para entretenimento", pelo que Putin deverá ausentar-se da refeição.

A grande tensão entre a Rússia e os países do Ocidente devido à situação ucraniana relegou hoje para segundo plano os temas do clima e do ébola, que deviam marcar o primeiro dia da cimeira.

Apesar dos apertos de mão e da afirmação do primeiro-ministro australiano, Tony Abbott, de que "quaisquer que sejam as divergências (...) há, pelo menos, calor humano" entre os dirigentes das maiores economias mundiais e dos países emergentes, o ambiente na cimeira tem sido de 'guerra fria', segundo a AFP.

A imprensa canadiana dá conta que o primeiro-ministro Stephen Harper atacou esta manhã frontalmente Putin, ao afirmar que poderia apertar a mão ao russo, mas tem apenas uma coisa a dizer-lhe: "tem que sair da Ucrânia".

Na resposta, Putin afirmou que a Rússia não pode sair da Ucrânia porque "não está lá".

Durante esta semana, a NATO confirmou as afirmações de Kiev sobre a presença de tropas e equipamentos militares russos no leste do país, o que Moscovo negou.

Mais de quatro mil pessoas morreram desde o início do conflito em abril entre ucranianos e russos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG