Putin classifica como crime político e tragédia a morte de Nemtsov

Intervenção do presidente invalida tese oficial de que o atentado teria a ver com negócios ou vida pessoal de dirigente da oposição.

O assassínio do opositor Boris Nemtsov foi um "crime audacioso", "deliberado" e "de contornos políticos", uma "tragédia", declarou ontem o presidente Vladimir Putin durante uma reunião com responsáveis do Ministério do Interior, em Moscovo, a qual foi transmitida em direto pela televisão.

Nemtsov, de 55 anos, que foi vice-primeiro-ministro cerca de um ano no último mandato de Boris Ieltsin, foi assassinado a tiro na passada sexta-feira à noite em Moscovo, quando caminhava com a namorada na Praça Vermelha. Até ao momento, não foram efetuadas quaisquer detenções, embora o responsável dos Serviços de Segurança Federal (FSB, na sigla em russo),Alexander Bortnikov, tenha referido, também ontem, que estavam identificados alguns possíveis suspeitos.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG