Primeira medida pós-acordo: iranianas já podem ir a jogos

Regime levanta restrições que proíbem mulheres de assistir a desportos praticados por homens. Com exceções. Obama diz a americanos que acordo sobre nuclear com o Irão é bom.

Dois dias após o anúncio de um acordo entre o Irão e o Grupo 5+1, o regime iraniano deu um primeiro sinal de abertura: as mulheres vão poder finalmente assistir a desportos praticados por homens sem serem perseguidas por isso. O ministro-adjunto do Desporto de Teerão, Abdolhamid Ahmadi, indicou que o Conselho de Segurança do Estado do Irão aprovou um plano que permitirá às mulheres do país e às suas famílias assistirem a eventos desportivos, noticiou a agência oficial de notícias IRNA, acrescentando que tal plano será implementado este ano. Porém, esta abertura não será total. A presença feminina em jogos e estádios "dependerá do tipo de desporto". E mais não foi dito.

As mulheres foram proibidas de assistir a desportos praticados por homens no Irão em 1979, quando a revolução fez chegar ao poder líderes islâmicos conservadores. No passado houve exceções, mas apenas para estrangeiras que viviam em território iraniano e queriam assistir aos jogos das suas seleções quando elas lá iam. O anúncio ontem feito surgiu depois de o presidente da FIFA, Sepp Blatter, ter pedido ao regime que acabasse com a restrição "intolerável" que impedia as mulheres de assistirem a jogos de futebol em estádios. E dias depois de um tribunal ter perdoado Ghoncheh Ghavani, uma britânica de origem iraniana que tinha sido presa em junho por protestar à porta de um estádio - onde ela e outras mulheres exigiam poder entrar para conseguirem assistir a um jogo de voleibol.

LEIA MAIS NA EDIÇÃO IMPRESSA OU NO E-PAPER DO DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG