Primeira-dama indiana não fala com marido desde 1987 mas ainda espera que lhe ligue

Casaram-se em 1968, mas só viveram juntos três anos. Hoje Jashodaben vive com a reforma de professora: 200 euros por mês.

Jashodaben tinha 17 anos quando a família a casou com Narendra Modi, de 18. Estávamos em 1968, mas a união entre o vendedor de chá e a mulher pouco durou. Passados três anos - mas pouco mais de três meses de convívio, segundo o site India TV News -, Modi saía de casa à procura da sua vocação religiosa. Mas foi a política que se lhe atravessou no caminho. Não voltou a casar-se, mas só no ano passado, quando preencheu os papéis para a candidatura oficial a primeiro-ministro, é que o então ministro-chefe do Gujarate trocou o risco que costumava pôr no espaço para o estado civil pela palavra "casado".

A revelação pouco alterou a vida do homem que garantiu a vitória aos nacionalistas hindus do BJP. Afinal, quando na semana passada recebeu o presidente americano, Barack Obama, para o Dia da República indiano, nem vislumbre de uma primeira-dama ao seu lado. Mas veio revolucionar a vida de Jashodaben.

Deixada na aldeia de Unjha, no norte do estado do Gujarate, Jashodaben só voltaria a ver o marido uma vez depois de este sair de casa. E a última vez que os dois trocaram umas palavras foi em 1987. Professora na aldeia, a mulher de Modi ia acompanhando o seu percurso, primeiro na Rashtriya Swayamsevak Sangh (RSS), organização nacionalista hindu à qual Modi se juntou, tornando-se um pracharak - trabalhadores aos quais era recomendado não terem laços familiares.

Leia mais pormenores na edição impressa ou no epaper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG