Preso suspeito pela fuga de informações no Vaticano

A Santa Sé anunciou a detenção de uma pessoa na posse ilegal de documentos secretos, que poderá ser o mordomo principal (maggiordomo) do Papa Bento XVI.

Interrogado por jornalistas, o porta-voz da Santa Sé, o padre Federico Lombardi, revelou que "o inquérito desencadeado pela polícia do Vaticano, segundo as instruções da Comissão dos Cardeais e sob a direção do procurador de justiça do Vaticano, permitiu identificar uma pessoa na posse ilegal de documentos confidenciais".

O Papa nomeou há cerca de um mês uma comissão de três cardeais para investigar a repetida fuga de documentos que vem sucedendo desde janeiro.

"Essa pessoa está agora sob jurisdição da magistratura vaticana", indicou Lombardi, sem precisar nem a identidade nem qualquer informação sobre essa pessoa. Mas segundo fontes informadas, o suspeito foi preso hoje de manhã e, escrevem 'Il Foglio' e a agência Ansa, tratar-se-ia de Paolo Gabriele, o mordomo principal que tem acesso direto ao papa e aos seus aposentos.

Escreve 'Il Foglio' que esta rápida detenção poderá residir mais na necessidade de encontrar um responsável pela fuga de documentos da Santa Sé, e que Gabriele não será o responsável pelo sucedido ou não será, pelo menos, o único envolvido no caso.

Há uma semana saiu para as bancas em Itália um livro intitulado 'Sua Santidade', em que se reproduzem dezenas de faxes e de cartas ultra-secretas destinadas ao Papa ou dos quais Bento XVI tomou conhecimento. Estes documentos foram entregues por "gargantas fundas" do Vaticano ao jornalista.

Alguns dos documentos reproduzidos apresentam a rubrica de Bento XVI. São raras as pessoas com acesso direto aos documentos, uma vez este consultados pelo Papa, referem à AFP os conhecedores do aparelho do Vaticano.

Estas pessoas são, nomeadamente, o mordomo principal, quatro irmãs ligadas ao movimento Comunhão e Libertação, e os dois secretários particulares do Papa, Georg Gänswein e Alfred Xuereb.

Os documentos ilustram debates internos do Vaticano, as relações entre a Santa Sé e o Estado italiano, os escândalos sexuais nos Legionários de Cristo e as negociações entre o Vaticano e a comunidade integrista São Pio X.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG