Presidente timorense agradece a Xanana por ter encontrado "soluções pioneiras" para o país

Taur Matan Ruak falava na cerimónia de tomada de posse do VI Governo Constitucional, liderado pelo primeiro-ministro Rui Maria Araújo.

O Presidente da República de Timor-Leste, Taur Matan Ruak, agradeceu hoje a Xanana Gusmão por ter sabido encontrar "soluções pioneiras" para o país, no dia da tomada de posse do VI Governo do país.

"Como nos habituou desde a luta, o irmão Xanana soube sempre pensar de forma inovadora, consultar os companheiros, dialogar e encontrar soluções pioneiras para os problemas da terra de Timor", disse hoje o chefe de Estado.

O homem que trabalhou pela libertação de Timor-Leste, disse o chefe de Estado, "trabalha, agora, para assegurar uma transição estável e bem-sucedida: da geração que conquistou a libertação, para a geração que tem de conquistar o desenvolvimento".

Taur Matan Ruak falava na cerimónia de tomada de posse do VI Governo Constitucional, liderado pelo primeiro-ministro Rui Maria Araújo, que decorreu hoje no Palácio de Lahane, nos arredores de Díli.

Para o chefe de Estado, o VI Governo é um exemplo de como "a velha e a nova geração" podem trabalhar em equipa em prol de Timor-Leste, iniciando um processo de transição de gerações na liderança do país.

"A entrega da liderança do governo é um gesto de serviço ao país. É uma lição de nacionalismo e uma ação educativa, pedagógica, mostrando que fazer política é pôr os interesses da nação primeiro", disse.

Taur Matan Ruak recordou o papel determinante que Xanana Gusmão teve noutros momentos da história de Timor-Leste quando adotou estratégias inovadoras no seu momento e que demonstraram ser determinantes.

"Abraço calorosamente o senhor primeiro-ministro cessante, o irmão Xanana, e transmito-lhe, em meu nome e do país, o nosso agradecimento - pela sua visão, pela capacidade de inovação política, e pela vontade de alargar as obrigações e responsabilidades de uma nova geração de timorenses ao mais alto nível do Estado", disse.

Como exemplo citou o processo de despartidarização das Falintil (Forças Armadas de Libertação e Independência de Timor-Leste), "a orientação da Frente Clandestina", o processo de transição para o referendo e para a restauração da independência ou o processo de reconciliação.

Hoje, afirmou, continua - como toda a geração de 1975 - a ter "ainda muito a dar ao país", com líderes que têm "conhecimento, experiência e prestígio nacional e internacional que continuam a colocar ao serviço do país".

A decisão de Xanana Gusmão continuar como ministro no novo Governo "merece ser saudada e elogiada, porque reforça a estabilidade e a confiança nesta transição de gerações", disse o Presidente da República.

"Nas suas novas responsabilidades como ministro, o irmão Xanana dará novos contributos, certamente, para a diversificação da nossa economia a para consolidar a afirmação regional e internacional de Timor-Leste, no caminho para o desenvolvimento", disse ainda.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG