Presidente francês promete em Bagdad mais ajuda militar

O Presidente francês, François Hollande, afirmou hoje em Bagdad que Paris está pronta para reforçar a ajuda militar ao Iraque, que enfrenta uma ofensiva 'jihadista' liderada pelo grupo Estado Islâmico (EI).

"Vim a Bagdad para afirmar a disponibilidade de França para ajudar militarmente ainda mais o Iraque", disse o chefe de Estado francês, numa conferência de imprensa conjunta com o primeiro-ministro iraquiano, o xiita Haider al-Abadi.

"Ouvi o pedido do primeiro-ministro iraquiano. Vamos trabalhar com os nossos aliados sobre um conjunto de hipóteses", referiu Hollande.

O Presidente francês, que evitou responder a uma pergunta sobre possíveis ataques coordenados pela força aérea francesa, foi vago sobre os meios militares que serão disponibilizados por Paris.

Ao seu lado, o novo chefe do Governo iraquiano salientou a importância do apoio aéreo por parte dos aliados internacionais.

A propósito de uma possível mobilização do porta-aviões Charles de Gaulle, Hollande remeteu para mais tarde uma decisão definitiva sobre este assunto.

"Tomaremos decisões quando chegar a hora. Neste momento, não há detalhes que possam ser dados, nomeadamente sobre o porta-aviões", afirmou.

François Hollande também não avançou muitos pormenores sobre a conferência internacional sobre a paz e a segurança no Iraque, que será realizada na próxima segunda-feira na capital francesa.

Esta conferência acontece "num momento muito particular que é uma batalha contra este movimento terrorista que se pode espalhar muito além do Iraque e da Síria", disse o Presidente francês.

"É por isso que esta ameaça global exige uma resposta global", sublinhou Hollande, salientando que este tipo de terrorismo é uma ameaça internacional porque "os combatentes vêm de todos os países e podem voltar (para os respetivos países de origem] e cometer outros atos".

Segundo uma última estimativa dos serviços secretos norte-americanos (CIA), o EI conta "entre 20.000 a 31.500" combatentes na Síria e no Iraque, sendo que uma parte é recrutada no estrangeiro.

Questionado sobre a presença do Irão na conferência em Paris, o governante respondeu que deseja "uma participação o mais ampla possível".

"Nada está estabelecido sobre a lista exata de participantes e os ministros dos Negócios Estrangeiros francês e iraquiano estão a trabalhar para que existe uma ampla participação", indicou Hollande.

Antes de fazer uma escala em Erbil, capital da região autónoma do Curdistão iraquiano, François Hollande precisou que França já entregou "mais de 60 toneladas de material", no âmbito da sua operação humanitária no Iraque, mencionando ainda uma próxima "entrega de equipamento militar para os iraquianos prosseguirem o seu combate contra o terrorismo".

Em Erbil, Hollande vai entregar 15 toneladas de ajuda humanitária e visitar um campo de deslocados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG