Presidente do Bukina Faso anuncia demissão

Diante de dezenas de milhares de pessoas reunidas nas ruas de Ouagadougou, um representante do exército anunciou que o presidente Blaise Compaoré "já não está no poder". A notícia foi recebida em euforia e com aplausos.Pouco depois, o próprio presidente anunciou a demissão num comunicado.

Blaise Compaoré pediu a realização de eleições "livres e transparentes" no prazo de 90 dias, segundo um comunicado citado pela agência France Presse.

"A partir de hoje, Blaise Compaoré já não está no poder" anunciara pouco antes o coronel Boureima Farta, levado em ombros pelos militares.

Dezenas de milhares de pessoas saíram hoje às ruas de Ouagadougou para exigir a saída do presidente, Blaise Compaoré, que na quinta-feira, depois de tumultos que fizeram cerca de 30 mortos, recusou abandonar o cargo.

Os manifestantes dirigiram-se para junto do edifício do Estado-Maior das Forças Armas gritando "Blaise fora!".

O líder da oposição, Zephirin Diabre, pediu hoje aos seus apoiantes que "mantenham a pressão" sobre o presidente "ocupando espaços públicos".

As forças armadas do Burkina Faso anunciaram na quinta-feira a dissolução do governo e do parlamento, a instauração de um recolher obrigatório e a criação de um órgão de transição, depois de o presidente, no poder há 27 anos, ter afirmando que não se demite, num discurso transmitido pela televisão.

Os protestos no país foram desencadeados pela decisão de Compaoré de rever a Constituição para prolongar o mandato presidencial. O projeto foi retirado, mas a oposição mantém a exigência de que Compaoré abandone o cargo.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG