Polícia liberta "os últimos 60 presos políticos"

O departamento de segurança e serviços secretos do Sudão libertou hoje o que designou como os "últimos 60 presos políticos do país", incluindo oito estrangeiros, em resposta a um indulto anunciado pelo presidente Omar al Bashir.

O chefe do departamento, general Mohamed Maula Abas, sublinhou em comunicado que a libertação de todos os detidos, na capital e em diversas capitais provinciais, é uma resposta ao indulto anunciado pelo chefe de Estado durante um discurso hoje no parlamento. O mesmo responsável assegurou que entre os abrangidos pela medida se encontram apoiantes de movimentos rebeldes, e destacou que "agora não existe qualquer preso político no Sudão".

No discurso pronunciado no parlamento, Al Bashir prometeu a abertura de um diálogo para elaborar uma nova Constituição e adiantou que seriam amnistiados todos os presos políticos sem provas para serem condenados.

Este foi o primeiro discurso do presidente sudanês após a declaração da independência, no sábado passado, do Sudão do Sul, que se separou do resto do país na sequência de um referendo sobre a autodeterminação em Janeiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG