Polícia, FBI e militares ocupam Ferguson após noite violenta

Família de Michael Brown "profundamente desiludida" com ilibação de agente responsável pela morte de jovem negro.

A noite caiu em Ferguson ao som das sirenes de veículos da polícia e dos bombeiros, com um imponente dispositivo de segurança no centro da cidade e seus acessos - em que se incluíam vários veículos blindados - na tentativa de evitar novo surto de violência como o sucedido segunda-feira, quando foi conhecida a decisão de não acusar o agente Darren Wilson, de 28 anos, pela morte de Michael Brown, um jovem negro de 18 anos, abatido a 9 de agosto.

Na noite de segunda para terça-feira (madrugada de terça-feira em Portugal) travaram-se verdadeiras batalhas nas ruas desta cidade do estado do Missouri , com a polícia a lançar gás lacrimogéneo e granadas incapacitantes antes de carregar sobre os manifestantes que, por sua vez, lançavam diferentes projéteis sobre as forças de segurança e destruíam e pilhavam veículos e lojas.

Ao longo da noite, os manifestantes foram entoando a frase "Hands up, don"t shoot!" (Mãos no ar, não disparem), que está a tornar-se a palavra de ordem para a mobilização destes protestos.

Leia mais no epaper ou na edição impressa do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG