Pena de antigo primeiro-ministro de Morsi anulada

Um tribunal de recurso do Egito anulou hoje a pena de um ano de prisão por desrespeito à justiça do ex-primeiro-ministro Hisham Qandil, que ocupou o cargo durante o governo do antigo presidente Mohamed Mursi.

Fontes judiciais disseram à agência noticiosa espanhola EFE que o tribunal inocentou Qandil, que tinha recorrido da sentença determinada o ano passado, tendo ficado anuladas também as penas de trabalhos forçados e de suspensão de cargos públicos.

O ex-primeiro-ministro era acusado de não cumprir uma resolução de um tribunal administrativo que determinava a devolução ao Estado de uma fábrica têxtil da cidade de Tanta, a norte do Cairo, que tinha sido privatizada.

Qandil, que terminou o seu mandato abruptamente após o golpe militar que derrubou Morsi a 03 de julho de 2013, foi detido a 24 de dezembro quando alegadamente tentava fugir para o Sudão.

Depois de detido foi levado para a prisão de Tora, onde estão presos outros dirigentes islamitas, como o líder da Irmandade Muçulmana, Mohamed Badie.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG