Pelo menos 40 combatentes do Estado Islâmico mortos em ataque da coligação internacional

Bombardeamentos da coligação internacional nas montanhas de Bachiqa, a norte de Mossul, Iraque, fizeram baixas no EI.

Pelo menos quarenta combatentes do grupo extremista Estado Islâmico (EI) morreram hoje devido aos bombardeamentos da coligação internacional nas montanhas de Bachiqa, a norte de Mossul, Iraque.

Um responsável do Partido Democrático do Curdistão (PDK) iraquiano, Esmat Rayab, disse à agência espanhola EFE que aviões de combate da coligação, liderada pelos Estados Unidos, atacaram seis posições desde a meia-noite, em várias zonas de Bachiqa.

De acordo com Rayab, o ataque teve lugar quando "uma força jihadista numerosa" se preparava para lançar uma ofensiva contra as tropas curdas na região.

O responsável curdo indicou que fontes dos serviços de inteligência detetaram conversas e movimentos dos combatentes do EI sobre um iminente ataque contra as linhas de defesa dos combatentes curdos "peshmergas" na região.

O número de mortos é conhecido devido à intercetação de chamadas telefónicas dos cabecilhas do EI, havendo também dezenas de feridos, segundo Rayab.

Pelo menos 80 membros do EI morreram em 24 horas de operações curdas nesta zona e em Zamar, no norte do Iraque, segundo informou à EFE o dirigente do PDK iraquiano, Mohiedin Mazuri.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG