Papa quer trazer mulheres para o governo da Igreja

Antes da nomeação de 20 novos cardeais, Papa reúne grupo de conselheiros para levar propostas da reforma ao consistório.

Diminuir as estruturas do governo central da Igreja ou trazer mulheres e laicos (não religiosos) para a chefia de serviços no Vaticano são duas propostas de reforma que estão a ser debatidas esta semana pelos cardeais e pelo Papa, antes das cerimónias públicas de nomeação de 20 novos cardeais, entre os quais o patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente. A discussão começa com a reunião de Francisco com o Conselho de Cardeais (conhecido por C9) para ultimar as propostas que vai levar a reunião geral de todos os cardeais - o consistório - marcado para quinta e sexta-feira.

Embora antecipe que o "Papa poderá fazer já no domingo um discurso programático, no quadro de uma representatividade mais global da Igreja (já que aí haverá representantes de 73 países)", o teólogo Anselmo Borges considera que estes encontros anteriores às cerimónias públicas de nomeação dos cardeais significam que Francisco não quer esperar para "avançar com as propostas para a renovação da Cúria".

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG