Papa quer mais solidariedade e menos violência no mundo

O Papa Francisco pediu hoje uma maior prática da solidariedade e menos violência no mundo no seu primeiro Angelus de 2014.

Falando perante uma multidão de fiéis reunidos na Praça de São Pedro, em Roma, o Papa declarou que "todos temos a responsabilidade de trabalhar para que todo o mundo se torne uma comunidade de irmãos que se respeitam, se aceitam nas suas diferenças e cuidam uns dos outros". E sublinhou que a História "tem um centro: Jesus Cristo" e "um fim: o reino de Deus, reino de paz, de justiça, de liberdade no amor".

A intervenção do Papa naquele que foi o seu primeiro Angelus de 2014 coincidiu com o 47.º Dia Mundial da Paz, assinalado pela Igreja a um de janeiro. Por isso, a questão da violência e a da injustiça foram abordadas, tendo Francisco afirmado que "é tempo de se pôr fim ao caminho da violência" e, afastando-se do texto preparado, interrogou-se sobre "o que se passa no coração da humanidade" para menosprezar "a força do amor, a força não violenta da verdade e do amor?", citando uma carta recebida no dia anterior, "talvez de algum dos presentes", disse.

Sobre a questão da injustiça, o primeiro Papa vindo da América Latina disse que esta "não nos pode deixar indiferentes ou imóveis".

Anteriormente, na missa celebrada na Basílica de São Pedro, Francisco chamara a atenção para a "fome e a sede de justiça e de paz" sentidas por tantos no mundo. Assim, 2014, deve ser um tempo de "verdadeiro compromisso para a construção de uma sociedade mais justa e mais solidária".

Ainda na Praça de São Pedro, o Papa recomendou "força, coragem e esperança" aos fiéis neste novo ano, terminando por se despedir com votos de "bom Ano Novo, bom almoço e adeus!"

Eleito em março de 2013, após a resignação de Bento XVI, o Papa Francisco, de 77 anos, não tem cessado de insistir na focada nos problemas do mundo "e dos mais pobres" e menos auto-centrada, recordavam ontem as agências.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG