O estafeta que tratou a guerrilha e agora chefia o governo de Díli

Rui Araújo, hoje com 51 anos, foi um dos principais elos de ligação entre Xanana e a rede externa, em Macau e Portugal.

O primeiro-ministro indigitado timorense Rui Araújo, que em maio completará 51 anos, é um dos médicos mais conhecidos do país, com uma longa carreira que incluiu tratar guerrilheiros e ter sido estafeta de Xanana Gusmão para o exterior. Considerado um homem dedicado à família e ao serviço público, íntegro e dedicado, Rui Araújo chega ao topo do executivo depois de uma ampla experiência ao longo de toda a jovem vida do Estado timorense - foi ministro da Saúde e assessor nos Ministérios da Saúde e das Finanças.

Mesmo que o facto de ser militante da Fretilin (Frente Revolucionária de Timor-Leste Independente) tenha causado algum mal-estar aos partidos da coligação do governo, o seu nome nunca deixou de suscitar consenso, com apoiantes e adversários políticos a reconhecerem a sua dedicação, ética e qualidade de trabalho.

A sua indigitação como primeiro-ministro por um partido diferente do seu confirma a tentativa de procura de consenso entre as forças políticas do país.

Natural do suco de Mape, na região de Zumalai, no distrito de Covalima, Rui Araújo nasceu a 21 de maio de 1964, tem dois filhos, é licenciado em Medicina pela universidade de Bali, com mestrado em Saúde Pública pela Universidade Otago, em Dunedin, na Nova Zelândia.

Leia mais pormenores na edição impressa e no epaper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG