NYT pede desculpa à Índia mas para cartoonistas não há vacas sagradas

A sonda em Marte é fonte de orgulho para indianos, a ponto de terem mostrado hipersensibilidade a desenho que realça o contraste entre o feito tecnológico e a pobreza do país. Não é o primeiro pedido de desculpas de um jornal

Houve festa quando a sonda Mangalyaan entrou na órbita de Marte e seguiu-se uma chuva, não de meteoritos mas de protestos na Índia. É que o The New York Times publicou um cartoon onde se vê um camponês com uma vaca a bater à porta do clube espacial, e irritou tanto os indianos, que acabou por pedir desculpas. "A intenção do cartoonista, Heng Kim Song, foi sublinhar como a exploração espacial já não é exclusiva dos ricos e do Ocidente", justificou-se o editor de opinião do jornal, Andrew Rosenthal, afastando assim qualquer suspeita de preconceito da parte do artista de Singapura.

Os leitores indianos do The New York Times (NYT) pareceram dar-se por satisfeitos, mas este é mais um caso de desculpas por cartoons. Há dias, o Boston Herald retratou-se por uma ilustração que ridicularizava as falhas de segurança de Barack Obama, mostrando o presidente a lavar os dentes na Casa Branca enquanto alguém na banheira perguntava se já experimentara a pasta de sabor a melancia. E o South Jersey Times sentiu necessidade de desculpar-se por um desenho sobre o Papa.

José Bandeira, ilustrador do DN há duas décadas, diz que nunca pediu desculpas por um cartoon. Até porque "o humor vive de audácia e o arrependimento é um luxo a que um humorista dificilmente pode chegar". Também André Carrilho, outro cartoonista do DN, jamais pediu desculpas por uma ilustração. Mas admite que alguém o faça caso perceba que ofendeu sem intenção.

Leia mais pormenores no epaper do DN

Exclusivos