Nações Unidas querem mudança na atuação da polícia nos EUA

Forças de segurança são responsáveis por cinco mortes controversas de afro-americanos.

A relatora especial da ONU para as minorias, Rita Izsák, considerou ontem existirem "preocupações legítimas" sobre o "padrão de impunidade quando as vítimas de uso excessivo da força são provenientes da comunidade afro-americana ou outras minorias" nos EUA. Outros dois relatores especiais, Mutuma Ruteere, para o racismo, e Christof Heyns, para execuções sumárias, arbitrárias e extrajudiciais, sublinharam a necessidade de "uma completa reforma do sistema" e o "fim das práticas discriminatórias" para com os negros naquele país

As palavras de Rita Izsák e dos outros elementos da ONU foram proferidas quando nos EUA continuam a surgir novos casos de violência letal de elementos da polícia sobre a população negra e protestos contra a atuação desta. O mais recente sucedeu na noite de quinta para sexta (madrugada de sexta -feira em Portugal)em Phoenix, no Arizona, depois da morte, terça-feira, de Rumain Brisbon, de 34 anos, ter sido morto por um agente que o interpelara pouco antes. Brisbon não obedeceu ao polícia e procurou fugir; como no caso de Michael Brown em Ferguson, ambos envolveram-se em confronto físico.

Leia mais no epaper ou na edição impressa do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG