Mulher saudita apanhada pela polícia a entrar disfarçada em estádio de futebol

Uma fã de futebol que se disfarçou para entrar na sexta-feira num estádio de futebol na Arábia Saudita, lugares reservados aos homens naquele reino, foi denunciada pelas autoridades, segundo um comunicado da polícia.

Os homens e as mulheres são segregados na Arábia Saudita, e os estádios de futebol são estritamente reservados, mas uma mulher conseguiu entrar no estádio Al-Jawhara na cidade de Jeddah.

Vestiu roupas masculinas e "deliberadamente cobriu a cabeça para que não fosse detetada pela segurança", explicou o porta-voz da polícia Atti al-Qurashi.

Um vídeo foi colocado no Youtube a mostrar a mulher sentada no estádio, rodeada de lugares livres, numa zona reservada aos fãs do clube visitante Al-Shabab, proveniente da cidade de Riade.

As autoridades disseram que a presença da mulher - que tinha comprado o bilhete na Internet - tinha sido feita contra os regulamentos e o caso "foi enviado às autoridades especializadas", mas não indica quais as sanções que poderá sofrer.

As mulheres sauditas são obrigadas a cobrir-se da cabeça aos pés quando saem de casa, e ainda precisam de permissão de um tutor para casar ou trabalhar.

Os restaurantes estão divididos em "zonas de família" e em zonas apenas autorizadas para homens solteiros, no quadro da tradição ultraconservadora islâmica predominante no reino, que se aplica à vida social, política e económica.

A Arábia Saudita é o único país do mundo onde as mulheres não estão autorizadas a conduzir, e quem desafiar essa regra arrisca-se a ser presa.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG