Mulher general atingida por campanha anticorrupção pela 1ª vez

Uma major-general chinesa, Gao Xiaoyan, está a ser investigada por suspeita de corrupção no primeiro processo do género envolvendo uma mulher com aquela patente.

A imprensa oficial chinesa anunciou hoje que a major-general chinesa, Gao Xiaoyan, é suspeita de ter recebido subornos relacionados com projetos de construção quando era Comissaria Política num hospital militar, entre 2005 e 2012, refere o China Daily.

É o quarto general visado este ano pela campanha anticorrupção e que, pela primeira vez em mais de meio século de governação comunista, atingiu um ex-vice-presidente da Comissão Militar Central, Xu Caihuo.

Os outros generais acusados nos últimos meses por "graves violações da disciplina", expressão oficial utilizada para os casos de corrupção, foram Gu Junshan e Yang Jingshan, ligados ao departamento de logística e ao comando de uma região militar, respetivamente.

O combate à corrupção, considerado "uma questão de vida ou de morte" para a credibilidade do Partido Comunista Chinês e a sua manutenção no poder, tem sido uma prioridade da liderança do atual presidente, Xi Jinping.

Centenas de quadros dirigentes, alguns dos quais de nível ministerial ou até superior, foram atingidos pela campanha anticorrupção desde que Xi Jinping assumiu a chefia do PCC, há dois anos.

Xi Jinping, 61 anos, é considerado o mais poderoso líder chinês das últimas duas décadas e já foi descrito fora da China como "Imperador Xi" e "Presidente Imperial".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG