Mugabe já pode vir à Europa, mas só se for para representar a União Africana

O presidente do Zimbabué, Robert Mugabe, pode visitar a União Europeia, apesar das sanções que o proíbem de viajar, em representação da União Africana, cuja presidência rotativa assumiu há dias, indicou uma porta-voz da UE.

"Com efeito, Mugabe é alvo de uma proibição de viajar. Mas esta interdição será levantada quando ele se deslocar na sua qualidade de presidente da União Africana (UA)", declarou Catherine Ray, porta-voz do serviço diplomático da UE, num encontro com a imprensa.

O presidente do Zimbabué, com quase 91 anos e no poder desde a independência do país em 1980, foi designado na sexta-feira para a presidência da UA por um ano, numa cimeira em Adis Abeba.

A UE começou a normalizar as relações com o Zimbabué em 2013, levantando a maioria das sanções impostas desde 2002 em protesto contra a violência política e as violações dos direitos humanos de que acusava o regime de Mugabe.

Mas os nomes de Mugabe e da sua mulher continuaram na lista dos que estão proibidos de obter um visto para a UE e cujos bens na Europa foram congelados.

Em abril de 2014, Mugabe boicotou uma cimeira UE-África em Bruxelas, para a qual tinha recebido um convite especial, pelo facto de a sua mulher não ter tido visto.

Questionada sobre o estatuto da mulher em futuras deslocações de Mugabe enquanto presidente da UA, Catherine Ray indicou que o levantamento temporário da proibição de viajar "se aplica a Mugabe (...) quando realizar missões internacionais".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG