Ministros da UE destacam importância do voto no Afeganistão apesar da violência

Vários ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia mostraram-se hoje preocupados com a segurança no Afeganistão, no dia em que se realizam eleições presidenciais e municipais, mas apelaram aos afegãos para que exerçam o direito de voto.

Os responsáveis da diplomacia da União Europeia concluem hoje em Atenas uma reunião informal de dois dias sob a Presidência grega da União, dedicada à análise da crise russo-ucraniana e ao conflito sírio.

Segundo a Efe, alguns dos ministros pronunciaram-se, à chegada ao encontro, sobre a situação no Afeganistão, como o holandês Frans Timmermans que considerou "esperançoso ver tanta gente jovem a dizer que quer votar, apesar da violência".

Por outro lado, o titular dinamarquês da pasta dos Negócios Estrangeiros, Martin Lidegaard, mostrou-se confiante em que muitos cidadãos afegãos irão votar.

"Sei que não é a situação perfeita, a segurança é muito difícil, mas o Governo do Afeganistão, tem prestado atenção a isso", salientou Lidegaard.

Cerca de 13 milhões de votantes podem participar no ato eleitoral, mas as previsões mais otimistas apontam para uma participação de pouco mais de 50%, devido sobretudo às ameaças de ataque dos talibãs aos locais de voto.

Os rebeldes afegãos anunciaram há algumas semanas, num comunicado, que iriam sabotar as eleições com ataques a secções de voto, trabalhadores das eleições e forças de segurança.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG