Milhares de pessoas nas ruas de França em solidariedade com o jornal 'Charlie Hebdo'

Manifestações foram convocadas por toda a França em protesto contra o atentado ao jornal satírico francês Charlie Hebdo que vitimou 12 pessoas esta manhã.

A principal manifestação estava marcada para a Place de la République a partir das 19.00 locais (18.00 em Lisboa), mas às 18.00 locais a praça já começava a encher-se. O protesto é "pela liberdade de imprensa, pela democracia, pela República", refere a convocatória.

Na Place de la République, há pessoas que levantam cartazes com o slogan que une os manifestantes, "Je Suis Charlie" (Eu sou Charlie), em protesto contra o atentado que causou hoje pelo menos doze mortos na sede do jornal satírico Charlie Hebdo, em Paris. Também se distribuiram autocolantes com o slogan e desenhos de protesto do cartoonista Plantu. Foram ainda erguidas canetas, num ato simbólico feito em silêncio.

O mesmo slogan junta ainda aqueles que protestam contra o atentado através da Internet. Muitos utilizadores do Twitter e do Facebook mudam as suas fotos de perfil para a mesma imagem, de fundo negro, e as hashtags #JeSuisCharlie e #CharlieHebdo são das mais populares a nível mundial. Também a conta de Twitter da embaixada norte-americana em França, por exemplo, mudou a sua fotografia.

Segundo o Le Figaro, que cita a AFP, em Paris estão 35 mil pessoas na manifestação, 15 mil em Lyon, cerca de 14 mil em Rennes, dez mil em Toulouse e cerca de cinco mil em Nantes e Estrasburgo. Entretanto a dioceses de Paris anunciou que os sinos da catedral de Notre Dame irão tocar ao meio-dia de quinta-feira em homenagem às vítimas do ataque, adianta o Le Parisien.

Mas não é só em Paris que acontecem manifestações relacionadas com o atentado. Espontaneamente, foram também convocados protestos por toda a França, em Madrid diante da embaixada de França, na Place du Luxembourg em Bruxelas, e na Trafalgar Square em Londres, onde se cantou o hino francês. No mapa compilado pelo jornal francês Le Monde é possível ver onde, na Europa e no resto do Mundo, foram convocadas manifestações.

Em Berlim, 500 pessoas juntaram-se junto à embaixada francesa. Já em Bruxelas, 200 pessoas estão junto ao consolado francês, enquanto mais de um milhar estão frente ao Parlamento Europeu. Em Estocolmo, na embaixada de França, foram acesas velas em memória das vítimas do ataque desta manhã.

Vários jornais e meios de comunicação mudaram as suas páginas iniciais para demonstrar a sua solidaridade com o atentado sofrido pelo Charlie Hebdo. É o caso, por exemplo, do jornal francês Libération, cuja página principal do site anuncia "Nous sommes tous Charlie" (todos somos Charlie).

Hermano Sanches Ruivo, conselheiro da Câmara de Paris, falou ao DN de uma outra manifestação, às 17.00 locais (16.00 em Lisboa) junto à sede da AFP. O autarca adiantou ainda que a presidente da Câmara de Paris, Anne Hidalgo, convocou uma outra manifestação de apoio para amanhã, às 18.00 locais (17.00 em Lisboa) também na Place de la République.

(Notícia atualizada às 20.50)

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG