Viúva de Arafat pediu exumação do cadáver

A viúva de Yasser Arafat pediu a exumação do cadáver do líder histórico palestiniano após a descoberta de indícios que sugerem que pode ter sido envenenado, numa entrevista divulgada hoje pela televisão Al-Jazeera.

"Faço-o como esposa, como mãe, como companheira durante 20 anos deste grande homem, faço-o pelas gerações e pelas crianças palestinianas e pelo mundo inteiro, para que se saiba a verdade sobre o assassínio de Yasser Arafat", disse Suha Arafat na entrevista, divulgada na página da Internet em inglês da emissora do Qatar.

A viúva tomou a decisão depois da Al-Jazeera ter divulgado uma reportagem exclusiva sobre a morte do líder da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), indicando que Arafat pode ter morrido envenenado com polónio, uma substância altamente radioativa encontrada nos seus objetos pessoais.

Segundo o documentário, um laboratório suíço, o Instituto de Física de Radiação de Lausanne, descobriu "uma quantidade anormal de polónio" quando analisou amostras biológicas em objetos pessoais do líder palestiniano entregues à viúva pelo hospital militar de Percy, no sul de Paris, onde Arafat morreu.

"Temos aqui uma primeira prova do crime, falamos de um crime quando encontramos mais de 50 por cento de polónio nas suas roupas no laboratório mais importante do mundo", sublinhou Suha.

"Peço uma exumação porque os cientistas suíços disseram que teríamos de o fazer para termos 100 por cento de segurança", adiantou a viúva, que também solicitou uma investigação internacional como a realizada ao assassínio do ex-primeiro-ministro libanês Rafic Hariri, num atentado em 2005 em Beirute.

Sobre as suas suspeitas de quem poderá ter envenenado Arafat, Suha comentou que "apenas cinco ou seis países no mundo têm polónio".

"Concordámos que, se a família do mártir Yasser Arafat estiver de acordo, contactaremos o laboratório suíço nos próximos dias para que venha recolher as amostras necessárias", adiantou o chefe da comissão de inquérito palestiniana à morte de Arafat, Taufiq Tiraui.

Arafat morreu a 11 de novembro de 2004 com 75 anos no hospital militar de Percy, após ter estado internado duas semanas. Não foi efetuada qualquer autópsia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG