Tunísia quer tirar dois milhões de cidadãos da pobreza

A Tunísia quer tirar dois milhões de cidadãos da pobreza num período de cinco anos, num novo modelo de desenvolvimento hoje anunciado pelo Presidente Moncef Marzouki.

Falando no Fórum Social Mundial, realizado na Tunísia e que hoje acaba, Marzouki pediu uma "nova abordagem para romper com o velho modelo de desenvolvimento" no país, realçando que as liberdades ganhas pelos cidadãos não têm "nenhum valor" sem direitos económicos e sociais.

"A Tunísia tem de desenvolver um novo modelo de democracia, um que melhore o sistema existente e procure novas formas de combater a pobreza, a principal inimiga do povo", disse, sem acrescentar elementos concretos do referido novo modelo de desenvolvimento que pretende implementar.

A revolução na Tunísia foi desencadeada pela imolação de Mohamed Bouazizi, a 17 de dezembro de 2010 na cidade de Sidi Bouzid, e levou ao início da Primavera Árabe.

As dificuldades económicas e sociais foram os principais fatores que levaram ao fim do Governo de Ben Ali e ainda hoje representam um entrave à governação no país, devido ao desemprego e à pobreza.

O país debate-se ainda com uma grave crise política, agravada pelo assassínio do líder da oposição, Chrokri Belaid, no dia 6 de fevereiro.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG