Rússia não ficará "de braços cruzados" no Iraque

O vice-ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Ryabkov, afirmou hoje em Damasco que a Rússia não vai ficar "de braços cruzados" face à ofensiva de grupos 'jihadistas' no Iraque.

"A Rússia não vai ficar de braços cruzados face às tentativas de grupos de propagar o terrorismo nos países da região", disse Ryabkov numa conferência de imprensa depois de um encontro com o presidente sírio, Bachar al-Assad.

O vice-ministro, cujo Governo é o principal apoio internacional do regime sírio, respondia a uma pergunta sobre a ofensiva liderada pelo grupo ultra-radical Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) em cinco províncias do norte e oeste do Iraque.

"A situação é muito perigosa no Iraque e ameaça os fundamentos do Estado iraquiano", acrescentou Ryabkov, citado pela agência France Presse com a indicação de que as palavras do ministro, em russo, foram traduzidas para árabe.

O responsável russo insistiu que, na Síria como no Iraque, a solução tem de partir de "um verdadeiro diálogo nacional".

Questionado sobre a decisão dos Estados Unidos de reforçar o apoio à oposição armada moderada da Síria, Ryabkov repetiu a mesma ideia, afirmando que "não há alternativa a uma solução política".

"Rejeitamos essa política norte-americana. É do interesse de todos, incluindo dos norte-americanos, adotar uma posição responsável em relação à crise síria", acrescentou.

O presidente norte-americano, Barack Obama, pediu na semana passada ao Congresso para desbloquear 500 milhões de dólares para "treinar e equipar" a oposição moderada na Síria, em face da ofensiva do EIIL no Iraque e na Síria, onde os extremistas há meses combatem grupos da oposição armada ao regime de Damasco.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG