Rússia acusa Ocidente de chantagem sobre a Síria

A Rússia acusou hoje o Ocidente de estar a fazer chantagem para obrigar Moscovo a aceitar sanções do Conselho de Segurança da ONU contra o regime do Presidente sírio Bashar al-Assad.

"Para nossa grande tristeza, vemos sinais de chantagem. Dizem-nos que se não apoiarmos a aprovação da resolução [do CS da ONU] à luz do capítulo 7 da Carta da ONU, recusar-se-ão a prolongar o mandato da missão de observadores na Síria", afirmou Serguei Lavrov, ministro dos Negócios Estrangeiros russo, em conferência de imprensa, citada pelas agências internacionais.

"Esta abordagem é absolutamente contraproducente e perigosa, porque é inaceitável usar os observadores como moeda de troca", acrescentou. O ministro, que se irá encontrar hoje em Moscovo com o enviado internacional para a Síria, Kofi Annan, recordou que a missão dos observadores da ONU na Síria é fazer uma avaliação objetiva do que acontece no país.

Lavrov afirmou que a Rússia irá aceitar qualquer decisão do povo sírio, depois de já ter declarado que não é realista esperar que Bashar al-Assad se demita, porque "uma parte muito significativa da população o apoia".

"É evidente que para pôr fim à violência é necessário obrigar todas as partes a pôr fim simultaneamente aos combates, sincronizar a retirada das cidades de armamento pesado e de todos os homens armados sob o controlo da missão da ONU", afirmou o ministro, citado pela Lusa. Kofi Annan chega hoje à Rússia onde se irá encontrar com Lavrov, hoje, e com o Presidente russo, Vladimir Putin, amanhã, para tentar encontrar uma saída para a situação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG