Regime sírio continua ataques aos manifestantes

As forças armadas da Síria continuam os ataques à população civil que protesta contra o regime ditatorial de Bashar al-Assad e exige mudanças políticas, como a democratização e o fim do domínio da elite da qual faz parte o Presidente do país.

Pelo menos 27 pessoas morreram e 150 ficaram feridas. Hama, centro da rebelião contra o regime, com 800 mil habitantes, continua a ser a cidade mais castigada pelos t bombardeamentos do exército de Assad. De acordo com o Daily Telegraph, os médicos locais dizem que os hospitais estão totalmente saturados, com feridos a serem tratados em corredores e até mesmo na morgue.

Uma ofensiva das forças armadas em Hama, no domingo, véspera do início do Ramadão, causou a morte a mais de 140 pessoas. Ontem surgiram novos protestos nas ruas de Damasco, capital do país, cujos manifestantes exigiam o fim da violência e uma reforma do governo de Assad.

Entretanto, o Conselho de Segurança das Nações Unidas continua a marcar passo, devido à divisão dos seus membros, na adopção de uma resolução condenando a Síria pelos ataques à população civil. Três mil sírios estão desaparecidos e 12 mil foram presos desde Março por motivos políticos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG