Obama telefona a Morsi para exprimir preocupação com os confrontos recentes

O Presidente dos EUA, Barack Obama, exprimiu ao seu homólogo egípcio, Mohamed Morsi, a sua "profunda preocupação" com os recentes protestos políticos no Egito, que causaram vários mortos, divulgou a Casa Branca, noticia hoje a AFP.

Obama também disse a Morsi que considerava "essencial que os líderes egípcios de todos os quadrantes políticos pusessem as suas diferenças de lado e concordassem num caminho que fizesse avançara o Egito", revelaram os serviços da Presidência, em comunicado.

Morsi rejeitou apelos para recuar no reforço dos seus poderes e não suspendeu as mudanças propostas à Constituição, enfurecendo milhares de manifestantes que se confrontaram com os seus apoiantes nos últimos dias.

Durante os confrontos na quarta-feira entre os islamitas apoiantes de Morsi e os adversários, seculares na sua maioria, morreram sete pessoas e 644 foram feridas, na que já é a pior vaga de violência desde a tomada de posse de Morsi, em junho.

"O Presidente Obama telefonou ao Presidente Morsi para lhe expressar a sua profunda preocupação com as mortes e as pessoas feridas nos confrontos no Egito", afirma-se na declaração assinada pelo porta-voz da Casa Branca, Jay Carney.

Obama "enfatizou que todos os lideres políticos no Egito deveriam tornar claro aos seus apoiantes que a violência é inaceitável".

O Presidente norte-americano saudou o apelo de Morsi ao diálogo, para começar este sábado no palácio presidencial, mas disse que "deveria decorrer sem pré-condições" e instou os líderes da oposição a participarem.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG