Netanyahu quer referendo a eventual acorod de paz

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, afirmou hoje que deseja submeter um eventual acordo de paz com os palestinianos a referendo.

"Se chegarmos a um acordo de paz com os palestinianos, eu desejaria submetê-lo a um referendo", disse Netanyahu, durante o encontro com o ministro dos Negócios Estrangeiros suíço, Didier Burkhalter, segundo um comunicado divulgado pelos serviços do governo israelita.

Netanyahu disse a Burkhalter que gostaria de falar sobre a experiência da Suíça em referendos, a que o ministro suíço prontificou-se imediatamente.

O primeiro-ministro israelita fez estas declarações no momento que os Estados Unidos tentam encorajar um relançamento das negociações entre Israel e os palestinianos, bloqueada desde o outono de 2010.

Em setembro, Netanyahu já se tinha declarado favorável a um referendo sobre qualquer acordo concluído com os palestinianos.

Os especialistas referiram na altura que o primeiro-ministro estava a tentar neutralizar a ala "dura" da sua coligação, que se opõe firmemente a qualquer concessão de territórios na Cisjordânia, deixando a decisão final para os eleitores.

Em novembro de 2010, o parlamento israelita adotou uma proposta de lei impondo, pela primeira vez, a validação por referendo de qualquer retirada dos territórios sob autoridade israelita, incluindo os Montes Golã e Jerusalém Leste, ocupado e anexado por Israel, antes da ratificação de um eventual tratado de paz com a Síria e os palestinianos.

No entanto, esta lei prevê uma dispensa de consulta pública se a maioria qualificada, de dois terços dos deputados (80 em 120), se pronunciar a favor de uma retirada.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG