Músicos e atores querem salvar seis milhões de crianças

Seis milhões de crianças sírias sem casa e a necessitar de ajuda urgente devido ao Inverno que se aproxima, foram o motivo de um vídeo de solidariedade da UNICEF que contou com a colaboração de músicos e atores do Reino Unido.

A UNICEF lançou um vídeo de solidariedade com atores e músicos do Reino Unido juntos pela causa das crianças sírias que estão a sofrer com o conflito armado no seu país. A urgência da UNICEF é o Inverno que se aproxima. As crianças vivem em campos de refugiados sem condições nem roupas próprias para resistirem ao frio.

O embaixador do Reino Unido para a UNICEF, Ewan McGregor juntou-se aos atores Michael Sheen e Tom Hiddleston e aos músicos Rita Ora, Tinie Tempah e Emma Bunton num pequeno vídeo que visa incentivar a opinião pública britânica a "abrir os olhos" para o drama naquele país.

Durante as filmagens do vídeo, Ewan McGregor afirmou que "o meu coração está com os milhões de crianças sírias que perderam tudo: as suas famílias, os seus amigos e as suas casas. Enfrentam agora o terceiro inverno consecutivo em campos de refugiados que não se podem chamar de casa", adiantando que "tenho receio que o mundo comece a fechar os olhos para a crise síria".

A cantora Rita Ora afirmou igualmente que "atualmente, as crianças sírias estão a sofrer uma violência sem precedentes, na maior parte das vezes andando de campo de refugiados em campo de refugiados apenas com a roupa que têm no corpo".

Para o ator Martin Sheen, "as crianças sírias tentam sobreviver em circunstâncias desesperadas. E quanto mais se vai aproximando o Inverno, mais são obrigadas a atingir os seus limites de resistência física e psicológica. Nenhuma criança no mundo devia viver nestas condições".

A UNICEF alerta para o facto de, atualmente, cerca de seis milhões de crianças sírias estarem a necessitar de ajuda urgente, naquela que será a maior operação de ajuda humanitária da história e agora, enfrentam a ameaça dos rigores do Inverno. Segundo a UNICEF, "é urgente conseguirmos chegar a todas as crianças sírias. Se não agirmos agora, esta geração estará perdida para sempre".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG