Mais de 30 mil morreram em 18 meses de conflito

Mais de 30.000 pessoas, na maioria civis, foram mortas no decurso dos 18 meses de conflito na Síria, indica um balanço hoje divulgado pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

De acordo com esta ONG sediada em Londres, com ligações a setores da oposição e que se apoia numa rede de militantes e médicos no terreno, 21.534 civis foram mortos durante a repressão ou nos bombardeamentos das forças do regime, e nos combates entre soldados e rebeldes.

O presidente da OSDH, Rami Abdel Rahmane, precisou que este balanço não engloba "os milhares de desaparecidos nas prisões sírias e cujos cadáveres são [na generalidade] depois encontrados".

O balanço também não regista os "milhares de 'shabbihas' [milicianos pró-regime] mortos, nem as centenas de corpos não identificados, encontrados por todo o lado nos últimos três meses".

"Mais de 30.000 mortos em 18 meses, mais de 100 pessoas mortas por dia e a comunidade internacional e os países árabes continuam a dizer que é preciso 'fazer qualquer coisa' pela Síria", deplorou Abdel Rahmane.

"A Síria está destruída e o mundo permanece silencioso e contenta-se com palavras", acrescentou.

Na terça-feira, de acordo com diversos balanços, a vaga de violência provocou 217 mortos -- 136 civis, 54 soldados e 27 rebeldes -- com 59 dos civis mortos na província de Damasco.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG