Julho foi o mês mais mortífero na Síria

Julho foi o mês com maior número de mortos na Síria desde o início da revolta no país em março em 2011, afirmou hoje Rami Abdel Rahmane, chefe do Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

"Em julho, pelo menos 4.239 pessoas morreram no país", afirmou Rahmane. As vítimas mortais incluem 3.001 civis (incluindo os que se armaram), 1.133 soldados e 105 desertores.

O segundo mês com maior número de mortos resultantes da violência foi junho, com 2.917 vítimas mortais. "A cada mês, o balanço não para de se agravar", precisou.

A título de exemplo, de 12 de abril a 12 de maio, ou seja no início da missão de observadores da ONU, o número de mortos caiu para 989.

O conflito tornou-se mais violento com os combates em Damasco e Alepo, as duas principais cidades do país.

No total, pelo menos 21.053 pessoas morreram desde o início do conflito.

Estas 21.053 vítimas mortais incluem 14.710 civis com armas e sem armas, 5.363 soldados e 980 desertores.

"O número total não inclui os milhares de detidos cujo destino é desconhecido, nem os que morreram mas cuja identidade não foi pormenorizada", segundo Rahmane.

Não é possível ter um balanço de fonte independente depois de a ONU ter suspendido a contagem das vítimas resultantes das vítimas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG