Iraque assinou novos contratos de exploração de petróleo

O Iraque assinou no domingo um contrato de exploração de petróleo com empresas do Koweit e dos Emirados Árabes Unidos, pondo fim a um processo de negociação que deixou de fora um candidato da Turquia.

O contrato foi assinado pelo ministro iraquiano responsável pelos contratos e licenças de exploração de petróleo, Abdul Mehdi al-Amidi, e as empresas Kuwait Energy e a Dragon Oil, dos Emirados Árabes Unidos.

A zona a explorar está situada no sul do Iraque e envolve 900 quilómetros quadrados junto à fronteira com o Irão.

Da parte da Kuwait Energy assinou o contrato Hussein al-Mosawy e por parte da Dragon Oil assinou Mark Sawyer, noticiou a agência AFP.

A Kuwait Energy ficou com 70% do projeto e a Dragon Oil com o restante.

Ambas as empresas concordaram em pagar uma taxa de serviço de 6,24 dólares (cerca de 4,63 euros) por barril de petróleo extraído.

Este é um dos vários acordos assinados entre Bagdade e empresas estrangeiras de energia para aumentar a extração de petróleo, incidindo em novos depósitos, com o objetivo de o Iraque cimentar o seu papel como fornecedor mundial.

Originalmente, o consórcio que ganhou o contrato de exploração foi o TPAO, da Turquia, mas os responsáveis do Governo do Iraque anunciaram em novembro do ano passado que a empresa turca seria excluída devido a "motivos não técnicos".

A decisão constituiu mais um de vários sinais de deterioração das relações entre Bagdade e Ancara.

Os dois países têm estado em litígio devido ao conflito na Síria e o Iraque já instou publicamente a Turquia a entregar o fugitivo vice-presidente Tareq al-Hashemi, condenado em Bagdade por liderar uma brigada da morte.

O Iraque possui reservas de petróleo avaliadas em 143 mil milhões de barris.

Exclusivos