Cinco pessoas morrem de fome num campo de refugiados

Cinco pessoas, incluindo um idoso, uma mulher e um deficiente, morreram de fome num campo de refugiados palestiniano cercado no sul de Damasco, informou hoje o Observatório Sírio para os Direitos Humanos.

Segundo a mesma organização com sede em Londres, as mortes resultaram de malnutrição e da falta de cuidados adequados e ocorreram no campo de refugiados de Yarmuk, cercado pelas tropas do regime do Presidente sírio.

As tropas de Bashar al-Assad sitiaram diversas áreas sob controlo dos rebeldes nas proximidades da capital, algumas há mais de um ano, de onde chegam relatos de pessoas que morreram de fome.

A ONU e várias associações de direitos humanos apelaram ao regime sírio para levantar o cerco em Yarmuk e pediram ao Exército e aos rebeldes que permitam a entrada de ajuda no campo.

Ler mais

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.