Índia convoca embaixador paquistanês depois da morte de dois soldados em Caxemira

A Índia convocou um encontro com embaixador do Paquistão após a morte de dois soldados indianos num tiroteio perto da fronteira, na região disputada de Caxemira, apesar de argumentar que o incidente não irá resultar no aumento da violência entre os dois países.

O exército indiano disse que os seus dois soldados, um dois quais terá sido mutilado, foram mortos na terça-feira, na sequência de uma troca de tiros depois de uma patrulha ter descoberto tropas paquistanesas no território.

Islamabad negou o tiroteio e a morte dos soldados, mas o Ministério dos Negócios Estrangeiros indiano, em comunicado, afirmou que o Paquistão "deve imediatamente investigar as ações que violam todas as regras de conduta internacional".

Apesar de tudo, o chefe da diplomacia indiana, Salman Khurshid, assegurou que o incidente não deverá levar ao aumento da violência: "Não podemos e não devemos permitir uma escalada da violência depois deste evento", afirmou. O porta-voz do seu ministério, Syed Akbaruddin confirmou que "o embaixador do Paquistão foi chamado a uma reunião com o Ministério dos Negócios Estrangeiros".

Khurshid disse ainda que o incidente é uma "clara tentativa de inviabilizar o diálogo", que estava a ser retomado após o congelamento das relações, consequência dos ataques a Mumbai em 2008, que causaram 166 mortos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG