Fim da trégua. Um soldado raptado e Israel bombardeia

A guerra na Faixa de Gaza, onde as hostilidades deviam cessar durante uma trégua humanitária de 72 horas, entrou hoje numa espiral de violência incontrolável, com um novo banho de sangue entre os palestinianos e a captura de um soldado israelita.

A crise agravou-se num momento em que a trégua humanitária devia dar algum alívio aos 1,8 milhões de habitantes de Gaza.

A trégua entrou em vigor às 8:00 locais, e devia permitir aos habitantes do enclave palestiniano de se reabastecerem, cuidarem dos feridos e enterrar os mortos, mas durou pouco mais de um par de horas.

A fasquia dos 1500 mortos foi ultrapassada neste 25.º dia de conflito, afirmou à AFP o porta-voz dos serviços de emergência da Faixa de Gaza, Achraf al-Qodra. Segundo a ONU, três quartos dos mortos são civis, muitos deles crianças. Do lado israelita já perderam a vida três civis e 63 militares.

As hipóteses de uma trégua duradoura parece cada vez mais longe, depois da captura do sub-sargento Hadar Goldin, de 23 anos, e da morte de pelo menos 40 palestinianos num ataque israelita em Rafah, no Sul da Faixa de Gaza.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG