Exército sírio matou 17 membros do Estado Islâmico

Pelo menos 17 membros do Estado Islâmico (EI) morreram devido a bombardeamentos do exército sírio contra um acampamento da organização no nordeste da Síria, informou hoje o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Em comunicado, a ONG revelou que o número de mortos poderia ser muito superior, já que há informações não confirmadas que indicam que outros 26 'jihadistas' terão morrido no mesmo local.

Os ataques ocorreram na última noite na zona de Al Tabani, no oeste da província de Deir el Zur, controlada quase na totalidade pelos extremistas.

Os bombardeamentos da aviação do regime sírio contra o campo de treino também provaram a morte de uma criança, que visitava um familiar naquela zona.

O EI proclamou em finais de junho um "califado" em partes do Iraque e da Síria, onde assumiu o controlo de amplas zonas de território.

Os Estados Unidos da América estão a constituir uma coligação internacional para lutar contra o grupo terrorista tanto no Iraque, onde já está a lançar bombardeamentos aéreos, como na Síria.

Apesar das pressões, o EI continua com a política de terror e na última noite difundiu um vídeo da decapitação de um terceiro refém, o cooperante britânico David Haines.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG