Estudantes islamitas incendeiam universidade do Cairo

Estudantes apoiantes da Irmandade Muçulmana incendiaram hoje um edifício da Faculdade de Comércio da Universidade de Al-Azhar, no Cairo, um dia depois da detenção de 265 manifestantes islamitas pela polícia egípcia, indicou uma fonte dos serviços de segurança.

Os estudantes entraram nas instalações da Faculdade de Comércio, interromperam um exame que estava a decorrer e atearam fogo ao edifício, relatou a mesma fonte.

O incêndio, que provocou danos em dois andares do edifício universitário, foi entretanto extinto pelos bombeiros.

Este incidente ocorre um dia depois da realização de várias manifestações de apoio ao presidente islamita Mohamed Morsi, destituído pelo exército em julho passado e atualmente detido, em várias cidades do Egito.

Pelo menos cinco pessoas morreram durante as manifestações pró-Morsi, que degeneraram em confrontos, segundo um novo balanço divulgado por uma fonte médica.

As forças de segurança egípcias prenderam na sexta-feira 265 manifestantes islamitas.

Estes protestos aconteceram depois de o Governo egípcio ter declarado, na quarta-feira, a Irmandade Muçulmana, movimento que apoia Mohamed Morsi, como "grupo terrorista" e de ter proibido qualquer tipo de manifestações.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG