Erdogan acusa Israel de ter derrubado Morsi no Egito

O primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, acusou hoje Israel de ter orquestrado os militares egípcios que afastaram do poder o Presidente Mohamed Morsi, em julho.

"O que é que se costuma dizer sobre o Egito? 'A democracia não está nas urnas de voto'. Quem está atrás de tudo isto? Está Israel", disse Erdogan num encontro do Partido da Justiça e do Desenvolvimento (AKP) em Ancara.

"Temos provas", disse Erdogan, citando alegadas declarações do ministro da Justiça de Israel em 2011, que, segundo o primeiro-ministro turco, terá dito em França que a Irmandade Muçulmana de Morsi não podia chegar ao poder no Egito, mesmo que seja através de eleições.

Mohamed Morsi, da Irmandade Muçulmana, foi o primeiro líder eleito democraticamente na história do Egito, nas eleições de 2012, mas foi deposto pelos militares no passado dia 03 de julho.

O AKP, o partido de Erdogan, de inspiração islâmica, desenvolveu relações políticas com o Egito nos últimos meses, antes do chefe de Estado ter sido deposto através de um "golpe militar", segundo o primeiro-ministro turco.

Entretanto, as autoridades israelitas declinaram qualquer resposta à acusação de Erdogan sobre o alegado envolvimento de Telavive no "golpe de Estado" no Cairo.

"Não vale a pena responder a esse comentário, que não merece resposta", disse à EFE um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Israel.

Exclusivos