Egito fecha fronteira com Faixa de Gaza

O Egito fechou hoje o posto de fronteira de Rafah para a Faixa de Gaza, após a morte de pelo menos 24 polícias na Península do Sinai num atentado contra as forças de segurança egípcias, anunciou à AFP um funcionário de fronteira.

Na semana passada, as autoridades egípcias anunciaram o fecho da fronteira por tempo indeterminado, mas havia sido parcialmente reaberta no sábado, de acordo com o Ministério do Interior na Faixa de Gaza, controlado pelo Hamas.

Os 24 polícias foram mortos num ataque perpetrado por militantes que dispararam rockets contra dois miniautocarros da polícia na Península do Sinai.

O ataque é descrito como o mais mortífero contra as forças da ordem no Egito, ocorrido nos anos recentes.

Outros dois polícias ficaram feridos no ataque, que ocorreu perto da cidade de Rafah, onde está instalado o posto de passagem para a Faixa de Gaza, no norte do Sinai.

O Governo egípcio declarou que os atentados na região são realizados por "terroristas" e, segundo a AFP, já são 73 os agentes das forças de segurança mortos só no norte da Península do Sinai desde a destituição do Presidente Mohamed Morsi.

O Egito está envolto numa onda de violência desde quarta-feira passada, quando a polícia dispersou pela força dois acampamentos, no Cairo, de manifestantes que exigem o regresso ao poder de Mohamed Morsi, deposto a 03 de julho pelo exército.

Pelo menos 800 pessoas já morreram no país desde o início dos confrontos, na quarta-feira.

Nas últimas semanas, a Península do Sinai tornou-se uma fonte de instabilidade e palco de ataques contra forças de segurança e gasodutos, bem como de atos de contrabando e sequestro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG