Criança palestiniana morta durante trégua humanitária

Uma criança palestiniana de oito anos foi morta e 30 pessoas ficaram feridas na queda de um projéctil num edifício de três andares no campo de refugiados de Shati, no oeste de Gaza, já depois de ter tido início a trégua humanitária unilateral decretada por Israel.

Os serviços de socorro palestinianos apontam o dedo à aviação israelita, que acusam de quebrar a trégua humanitária, que entrou em vigor às 10.00 locais (08.00 em Lisboa).

"Um F-16 disparou contra as casas. Não há trégua. Como é que pode haver trégua? São uns mentirosos, não respeitam os seus compromissos", indicou à AFP um habitante do campo de refugiados, Ayman Mahmud.

A trégua foi decretada unilateralmente por Israel mas recusada pelo Hamas e não se aplica aos setores onde as operações militares estão em curso, começando pelo leste da cidade de Rafah, onde estão concentradas as ações israelitas após a morte de três soldados, na sexta-feira.

Os militares podem ainda "responder a qualquer tentativa de explorar esta janela de oportunidade para prejudicar civis israelitas e soldados". Esta é a oitava trégua da parte de Israel, segundo o gabinete do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu.

Exclusivos